CASTANHA DO MARANHÃO

Lá vem minha mãe novamente com coisa estranha daquela chácara onde encontramos o cará-do-ar, lembra?
Dessa vez foram essas castanhas muiiiiiiiiito diferentes.



O sabor e o cheiro delas assadas lembra muito o amendoim torrado.
Hoje fui no grupo de Culinária Receita perguntar se o Mauro Rebelo ou alguém sabia que raios de castanha era essa.
Mauro me indicou o Murilo Antonio Soares do grupo Comunidade da Revista Natureza e ele matou a pau que raios de castanha é.

-----------------------------------------



NOME INDIGENA: Mamorana do tupi “Semelhante a Mamo ou Mamão por causa do tronco verde”. Também chamada de Castanha do Maranhão, Cacau selvagem ou Castanha da praia.
 
Origem: Nativa do bioma da mata atlântica desde o maranhão até o estado do Rio de Janeiro, ocorrendo também em alguns pontos da floresta amazônica. Mais informações no link: http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2012/index?mode=sv&group=Root_.Angiospermas_&family=Root_.Angiospermas_.Malvaceae_JUS&genus=Bombacopsis&species=&author=&common=&occurs=1&region=&state=&phyto=&endemic=&origin=&vegetation=&last_level=subspecies&listopt=1
  
Características: Arvore com 4 a 6 metros de altura. Tronco liso, grosso, e esverdeado com 20 a 30 cm de diâmetro. A folha tem pecíolo (haste ou suporte) de até 15 cm de comprimento e as folhas são digitadas (parecem dedos) e compostas de 5 a 7 folíolos de 8 a 10 cm de comprimento. As flores são hermafroditas (tem os dois sexos na mesma flor), pedunculadas (cabinhos de até 5 cm de comprimento), são diclamídeas (tem dois envoltórios). Quando se abrem o cálice (invólucro externo) tem forma de pequeno cone com 5 sépalas soldadas de cor verde e a corola (invólucro interno) tem 5 pétalas oblongas (mais longa que larga), medindo 6 a 9 cm de comprimento por 0,9 a 1,2 cm de largura, com ápice cirroso ou enrolado.
 
Dicas para cultivo: Planta subtropical, resiste bem a seca de até 6 meses e a geadas de até – 3 grau, embora perda todas as folhas, rebrotando depois. Pode ser cultivada em todo o Brasil, em qualquer altitude; adapta-se a qualquer tipo de solo, que drenem bem as águas da chuva ou até solos argilosos, sujeito a inundações na beira de rios. Pode ser plantada a pleno sol ou em reflorestamentos mistos.
 
Mudas: As sementes são arredondadas, marrom claras, com estrias brancas, medem cerca de 2 cm de diâmetro, e são envolvidas por uma fina lã macia e branca. Elas germinam facilmente num período de 10 a 20 dias. As mudas atingem 35 cm com 5 meses após a germinação. Formar as mudas em pleno sol. A frutificação inicia-se com 1,5 a 3 anos, dependendo do solo e tratos culturais. Pode ser propagada por estacas de galhos lenhosos.
 
Plantando: No pomar planta-se num espaçamento de 6 x 6 m. após o plantio irrigar com 10 l de água por semana nos primeiros 2 meses. As covas devem ter 50 cm nas três dimensões e convém adicionar aos 30 cm da superfície 8 kg de matéria orgânica bem curtida, 500 g de cinzas, 200 g de torta de mamona e 400 g de calcário, misturar tudo e deixar curtir por 2 meses. O plantio deve ser feito em novembro.
 
Cultivando: Fazer apenas podas de formação da copa e eliminar os galhos que nascerem na base do tronco, caso deseje que a arvore cresça ou caso prefira que produza uma copa arredondada, pode o broto terminal e faça podas de modelagem a cada 2 meses. Adubar com composto orgânico, pode ser 8 kg cama de frango curtida + 50 gr de N-P-K 10-10-10 dobrando essa quantia a cada ano até o 4ª ano, depois adubar anualmente com a mesma quantia no inicio da primavera.
 
Usos: Frutifica em fevereiro a março. As sementes ou castanhas que podem ser consumidas in-natura ou usadas para produzir o “Achocolatado com coco”. Para produzir tal especiaria é preciso colher as sementes, fazer um corte na semente, daí é só torrar numa panela ou no forno, depois de escurecer, bater no liquidificador e voltar novamente a massa triturada na panela até secar totalmente, depois voltar no liquidificador e por ultimo passar a farinha numa peneira fina para separar o pó da casca. Esse pó meio oleoso é um verdadeiro chocolate que pode ser misturado (1 colher de sopa) num copo de leite (quente ou gelado) adoçado a gosto, estando pronta uma bebida energética e saborosíssima com gosto que lembra uma mistura de chocolate, coco e amendoim. O pó ainda pode ser usado como ingrediente para bolos, bolachas, brigadeiro e outras iguarias. 


-----------------------------------------



Achei também receitinha e dica aqui nesse blog super legal:

http://nasombradoipe.blogspot.com.br/2010/09/cookies-de-castanha-do-maranhao.html

-----------------------------------------

RECEITA DE COMO EU FIZ:

Pegue um punhado de castanhas do maranhão, metade em uma assadeira e metade em outra assadeira.
Fure-as com a pontinha de uma faca, são bem macias, é rápido.
Em uma assadeira prepare o fundo de um copo com duas colheres de sopa de sal e água apenas 1 ou 2 dedinhos de água. Regue as castanhas.
Leve para assar em forno pré-aquecido.
Até torrar.
Aproximadamente 20min./ 30min.

Eu gostei mais da com sal, mas a sem sal não deixa de ser saborosa.
Lembra MUITO o cheiro e o sabor de amendoim.



-----------------------------------------

Como eu não fazia idéia de como consumia, eu descasquei antes de comê-las, mas nos sites que li as pessoas comem com casca e tudo, ela fica bem torradinhas e como é fininha antes de assar, ela fica bem crocante depois de assada.

UMA DELÍCIA!



3 comentários:

  1. poxa, será que no Maranhão a gente acha fácil para comprar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No Maranhão não sei, mas Tauti interior de SP tem de monte

      Excluir
  2. Eu tenho um pé dessa castanha em casa, plantei a semente e aos 3 anos começou a produzir e nunca mais parou. Distribuo sementes para os vizinhos e vivo doando mudas para todas as pessoas que quiserem.

    ResponderExcluir